Mentalização – Colocando a mente em ação!

“Quanto menos pensamentos tiver, maior será a sua força mental e sua concentração.”

Swami Sivananda

A mentalização, uma das técnicas aplicadas no DeRose Method, vista sob o ponto de vista das relações interpessoais é considerada nessa dissertação como parte dos influenciadores das mudanças comportamentais nos praticantes regulares. Conseguir manter e expandir essa habilidade requer treino e dedicação.

Este treinamento da mente faz parte do processo de construção de uma vida plena. Para atingir os objetivos de ter domínio das ondas mentais é necessário ter convicção no que está fazendo e se propondo. A definição da palavra mentalizar no dicionário Aurélio é: fazer mentalmente; imaginar, inventar; recordar, refletir.

Ao aprendermos como a mentalização nos auxilia a ampliar nossa felicidade, o próximo ponto é ficar atento aos rumos do destino, pois o exercício de mentalização contribui para que você crie, no plano mental, a realidade que deseja concretizar no plano físico. Ela criará um modelo que norteará suas ações até que o seu objetivo se materialize. Utilizando esta capacidade, estaremos fortalecendo nosso livre-arbítrio e ganhando poder de realização, assumindo de forma menos limitada o comando da nossa vida. Realizar aquilo que se deseja requer bastante empenho em qualquer campo; desta maneira, devemos utilizar todos os recursos que estejam à nossa disposição para otimizar tal esforço’.

Outro efeito desta evolução é que ele se expande a outros seres humanos, construindo assim um mundo melhor para todos. As técnicas aplicadas no Método DeRose produzem o efeito de tornar as realizações pessoais mais presentes e aprazíveis, pois possui efeito direto na elevação da autoestima do praticante. A mentalização é, portanto, o catalisador de todo esse processo, favorecendo cada uma das etapas.

Tudo que construímos começa na mente, inicia no pensamento. Ao pensar, imaginamos e para isso criamos imagens, somente depois vamos executar a ação. O que acontece é ser esse um processo do qual não tomamos conhecimento, acontece tão naturalmente que nem é assimilado. Assim, o primeiro passo é se conscientizar que isso ocorre. E o praticante aprende a ficar atento a isso nas primeiras aulas, quando o instrutor o ensina uma das regras gerais: “a localização da consciência”. Muitas vezes, essa é a primeira vez que o aluno reflete a respeito de pensar conscientemente nas ações, nas respostas do corpo, na cadência da respiração.

O passo seguinte é criar imagens mentais, nítidas e realistas, cheia de detalhes, imaginando aquilo que gostaríamos de ver realizado ou de ter ou de encontrar etc. No desenvolvimento das técnicas corporais, é importante desenvolver na mente o reflexo da pessoa física que desejamos ver.

Ao mentalizar, abrimos um canal de diálogo interno com o corpo e as intuições. Essa conversa acontece na forma de sons, que podem ser palavras ou frases, e imagens, cenas que gostaria de vivenciar, figuras, rostos de pessoas. Todo mundo cria essas mensagens mentais de forma inconsciente e não direcionada, ao levar a atenção a esse movimento, descobrimos que essas ações podem ser geradas conscientemente. Concentração e meditação são as principais chaves a abrir e desvendar esse mecanismo.

Mentalização também pode ser definida como a sistematização da imaginação, direcionando o desejo ao encontro dos nossos sonhos, aspirações e metas. As pesquisas das neurociências comprovam que a construção de representações mentais é capaz de remodelar o cérebro, assim como as experiências verdadeiras. Por meio da repetição, os neurônios possuem a capacidade de se reorganizar e se transformar. Mudam de forma e funções, criando novas conexões, sincronizam-se e reforçam as sinapses (contato entre dois neurônios), fazendo o cérebro aprender pelo treinamento. A prática contínua de pensar positivamente, por exemplo, tem o poder de remodelar o cérebro.

Nosso corpo tem o talento inato de registrar na memória emocional, no cérebro, as sensações agradáveis, físicas, emocionais e mentais. Ele faz o mesmo com as lembranças desagradáveis. Uma vez armazenadas, podemos evocar as mesmas sensações agradáveis ou não, apenas relembrando as situações, pois o cérebro reproduz estas sensações.

As pessoas estão educadas a mentalizar exatamente aquilo que não querem, a dar atenção a aspectos negativos. Para modificar e transformar esse paradigma se faz necessário colocar a mente em ação! Nesse momento, a pessoa deixa de ser “conduzida” para agir conscientemente.

“Até você se tornar consciente, o inconsciente irá dirigir sua vida e você vai chamá-lo de destino”, diz uma das muitas máximas de Carl Jung, psiquiatra e psicoterapeuta suíço falecido em 1961 e que fundou a psicologia analítica. Jung propôs e desenvolveu os conceitos da personalidade extrovertida e introvertida, arquétipos, e definiu o inconsciente coletivo.

Por esse aspecto, o DeRose Method enfatiza que é necessário que as pessoas não sejam conduzidas, mas que a mente atue e funcione sob a força da vontade consciente. O poder, por assim dizer, está em mentalizar exatamente aquilo que se deseja.

Quando direcionamos a mente a repetir as sensações prazerosas, somos capazes de promover conforto emocional a nós mesmos, por meio da indução. Este é o principal segredo do mecanismo da mentalização: disciplina na repetição e na atitude positiva. Pela reprodução mental sistemática, estimulam-se áreas intuitivas do cérebro, inicialmente inconscientes, tornando-as conscientes. Uma vez ativadas, estas regiões corticais desvelam atalhos, que uma vez trilhados, facilitam o caminho para as conquistas das mentalizações.

É importante esclarecer que mentalização não é milagre, onde basta pensar concentradamente, e os desejos se materializam. Na verdade, sem sistematização e atitude muito pouco acontece e quase nada se transforma. A precipitação das aspirações no plano da realidade objetiva pode demorar anos. A prática mental metódica é apenas um dos elementos para vermos nossos sonhos realizados. Quanto mais sistematizado, mais rápido ocorrerá à efetivação do desejo.

Exercendo influência direta e dinâmica sobre o comportamento, temos a “atitude”. É a atitude do indivíduo que faz a roda mover-se, quando ele assume total e absoluta responsabilidade sobre as suas escolhas e atos.

O ser humano prefere atribuir a culpa e a responsabilidade sobre o que lhe acontece aos deuses, à sorte etc. Quando terceirizamos, negamos. Quando somos capazes de, conscientemente, responsabilizar-nos sobre todas as decisões, duas energias são liberadas instantaneamente: o poder sobre si, que havia sido concedido à realidade externa, e a liberdade verdadeira, pois se passa a escolher e a reconstruir diariamente a mágica da existência.

Ter atitude é somar foco, disciplina, criatividade, planejamento e gerenciamento do tempo. E o DeRose Method inflama e fomenta esses sentimentos nos seus praticantes, para que a consciência expanda, para que ele possa desenvolver relacionamentos mais duradouros e verdadeiros, para que o aluno passe a guiar o próprio destino. O foco mantém a concentração no objetivo; a disciplina revela a capacidade de não desistir no caminho; a criatividade gera novas maneiras de enfrentar os desafios; o planejamento racionaliza os sonhos e desejos; a gestão do tempo separa o que é supérfluo do que é essencial.

Assim, a mentalização é uma importante chave para a concretização dos desejos e junto com ela muitos reflexos passam a fazer sentido e as posturas assumidas na jornada da vida deixam de ser automáticas. O DeRose Method “chama” os praticantes a fazerem essa reflexão, ensina técnicas para melhorar o desempenho mental e incentiva o indivíduo a ser realmente dono de si mesmo.

Essa “chamada à razão” é fator crucial na primeira mudança comportamental que o praticante estabelece: ele deixa de ser testemunha para ser o atuante, o dono da ação.

O autor japonês Masaharu Taniguchi diz que, em certo sentido, as pessoas nascem com um determinado hábito mental (personalidade) e, conforme, esse hábito mental, possuem determinadas a fisionomia e a compleição física. Consequentemente, pode-se afirmar que o destino da pessoa também está até certo ponto predeterminado. Porém, mesmo assim, a mente muda livremente conforme a decisão da pessoa, e não há necessidade de se preocupar, pois, de acordo com a mudança mental, pode-se mudar, até certo ponto, tanto a fisionomia quanto a compleição física em geral. E, conforme o grau do treinamento mental, pode-se efetuar uma grande mudança.

A vontade mora em nosso ser e ela é comandada pela nossa mente. Nessa transmissão dos pensamentos e desejos, existem muitos segredos. Para desvendá-los, é preciso ir buscar, ficar atento, perceber, sentir. E fazer isso é se transformar. E essa transformação é algo profundamente fomentado pelo conjunto de técnicas e conceitos, intitulado DeRose Method.

#altaperformance #boasmaneiras #felicidade #qualidadedevida